Jogos

Simuladores de combate aéreo


Desde pequeno sempre me interessei por tecnologia, especialmente tecnologia bélica. Mas se você vem sempre aqui, já deve ter reparado nisso… Para minha sorte, cresci nos anos 80/90 e tive o prazer de ser bombardeado por desenhos e filmes produzidos durante a Guerra Fria. Nesse período, muitos dos desenhos animados tinham como temas centrais tecnologia e militarismo. O motivo para isso é muito simples, existia uma corrida armamentista e uma demanda muito grande por pessoas que pudessem colocar o seu país/bloco a frente dos outros. Despertar o interesse por tecnologia nas crianças era uma forma de garantir futuros engenheiros, físicos e químicos… Bons tempos [1].

Como consequência desse ambiente favorável, ao longo de toda a minha vida (como todo nerd) acumulei conhecimento/itens/artefatos relacionados a esses temas. Onde a maioria das pessoas vê simples objetos malígnos, eu vejo arte. Vejo o fruto de milênios de trabalho árduo, obras da engenharia projetadas para… bem, para matar. Mas isso é detalhe! Sem esse vicío por destruição não teríamos nada do que temos hoje. Todo o desen… ok, estou divagando! Voltando aos trilhos! Ok! Então, apesar desse meu interesse todo por tecnologia bélica, essa não foi minha opção de carreira. Minha formação acabou ficando em uma ciência da base, a Física, e só depois parti para a mundo de aplicação na Eng. de Petróleo. Mas nas horas vagas, sempre dedico algum tempo a essa paixão antiga e ultimamente, boa parte desse tempo tem se voltado aos simuladores de voo, mais especificamente os de combate aéreo. Nessa publicação vou falar um pouco sobre dois dos principais simuladores que tenho jogado. Quem sabe alguém por aqui não se interessa? Então, vamos lá!

War Thunder

War Thunder é um Massively Multiplayer Online Game e pra dizer a verdade, ele não é beeeeem um simulador de voo. Mas vai ficar mais claro o motivo de ele estar aqui ao longo do texto… Para começar, estamos falando de um dos jogos mais populares da Steam e não acho que ele não conseguiu isso por acaso. O jogo é grátis e os seus requerimentos mínimos de sistema são bem humildes. Portanto, você não precisa de uma super máquina para rodar War Thunder e nem precisa pagar pelo jogo! É, só não joga se não quiser/puder.

O jogo abrange o período da Primeira Guerra Mundial até o início da Guerra Fria e não se limita apenas a aviões. Você também pode jogar com blindados e estão preparando o jogo para incluir navios. Wow! Além disso, você não precisa de equipamentos caros adicionais para jogar (Manche, manetes, pedais e headtracking), com mouse e teclado já dá pra se divertir. Para facilitar as coisas ainda mais… existem três modos diferentes de jogo (Arcade, Realista e Simulador) em que a dificuldade vai aumentando de forma gradual.

No modo Arcade você pode jogar com uma visão externa do seu avião/blindado, o que facilita bastante a sua vida no começo. Sua munição é infinita, a física de voo e os controles são bem simplificados. Aliados ficam destacados em azul/verde e inimigos em vermelho. Portanto, com apenas alguns minutos de prática você já é capaz de conseguir seus primeiros abates. Outro detalhe é que você pode usar vários aviões na mesma partida. Morreu, pega outro e começa tudo de novo… Já no modo Realista, você ainda pode ver o avião em “terceira pessoa” mas só pode usar um único avião/blindado por partida e sua munição acaba. Para recarregar, é necessário voltar para sua base, pousar, esperar alguns segundos e decolar de novo. Nesse modo os controles e a física do voo ficam um pouco mais realistas também. No modo Simulador as coisas começam a ficar mais sérias. A visão externa do avião já não é mais permitida.. apenas a visão do cockpit e aliados e inimigos não ficam mais em destaque. Esses detalhes mudam completamente a jogabilidade e torna a sensação de voo bem mais intensa.

Quando você já estiver confortável nesse modo de jogo, é possível deixar o jogo um pouco mais complexo. Você pode habilitar o gerenciamente manual do motor. Isso deixa todo o controle de motor nas suas mãos. Nesse caso, além de se preocupar com o que está acontecendo a sua volta, você tem que ficar de olho na potência, na mistura de combustível, no passo de hélice e na abertura e fechamento dos radiadores… =D Para terem uma ideia de como é uma partida de War Thunder, coloquei logo abaixo um jogo meu. Sim, sou eu voando. ^^ Nessa partida estou voando com um avião italiano, o Macchi MC.200 “Saetta”.

DCS

Você gostou de War Thunder? O modo Simulador foi o que mais lhe chamou atenção e/ou sua personalidade apresenta traços masoquistas? Então… DCS (Digital Combat Simulator) é para você! DCS faz o modo Simulador do War Thunder parecer o Arcade… No DCS o realismo é levado bem a sério. Por exemplo, no War Thunder, quando começa uma partida e você precisa dar partida no avião… basta apertar “i” e pronto! O motor pega de primeira, você acelera e parte para a p0rrada! No DCS não. Todo o processo de ignição é baseado no real, isso quando não é idêntico ao real.

Tudo começa com a agradável leitura de um longo manual, onde você aprende tudo sobre o avião que você comprou. Sim, no DCS quase tudo tem que ser comprado… Só 2 aviões são grátis (TF-51D e o Su25T). Se você já não gostou de ter que gastar comprando o jogo, nem vou dizer que é impossível jogar com mouse e teclado. Ops.. já disse! ¬¬ É, no mínimo você vai precisar de um manche.

Ok, não quero desanimar ninguém com esse papo… vamos voltar para a questão do realismo no DCS. Segue abaixo um video com o processo de ignição REAL do P51C “Mustang” e o link do manual do P51D do DCS. **Fica como exercício para o leitor encontrar todas as diferenças entre o P51C e o D.

Para continuar assistindo, seguem os links para a Parte 2 e Parte 3.

Mas esse de cima é o real, QF! Como é no DCS?

Fico feliz que tenha perguntando (sei que não perguntou…), para isso coloquei logo abaixo outro video de uma partida que joguei. Nesse caso, estou voando um FW190 D9 e infelizmente o video não capturou o meu mouse se movimentando pelo painel e ligando todos os instrumentos… mas enfim, é o que tem pra hoje! =/

Outra grande diferença entre o War Thunder e o DCS está na quantidade de aviões que você pode pilotar. No War Thunder são mais de 500 aviões/blindados (Lista completa de aviões e blindados) e no DCS são apenas 22 aviões/helicópteros (Lista completa de aviões e helicópteros). Mas eu diria que isso é esperado, dado o nível de detalhamento dos aviões nesses dois jogos serem completamente diferentes. Ahh, quase ia esquecendo… para quem gosta, no DCS temos aviões mais modernos com radar, mísseis guiados, contramedidas eletrônicas e tudo mais.

Concluindo, se você não conhecia o mundo dos simuladores de combate aéreo… bem, agora tem uma ideia do que vai encontrar. Se quiser começar, recomendo o War Thunder. Se quiser partir para drogas pesadas e começar a vender móveis da sua casa para comprar aviões e equipamentos, recomendo o DCS. É isso! Vou terminar esse texto por aqui e jogar um pouco. Espero que tenham gostado[2] e que eu possa jogar com algum de vocês algum dia…
Até mais!

=/

Notas do autor:

[1] Estou especulando violentamente nesse ponto, mas isso faz bastante sentido para mim. Muitos filmes e desenhos animados serviram a essa causa… Bem, pelo menos até surgir o maldito Capitão Planeta que dava a entender que ciência era uma coisa do mal. Não sei se vocês se lembram, mas nesse desenho mostravam cientistas destruindo o planeta atoa, assim… por pura maldade! Um tremendo absurdo, todos sabem que fazemos isso por dinheiro! =D
[2] A partir da data e hora de publicação deste post, fica proibido acusar o QF de estar jogando de mais e publicando de menos no EÁ. (Carimbo de cartório)



8 especialistas já comentaram!

  1. Diogo

    Me lembro da primeira vez que joguei Ace Combat pra PS1… quase morri de tontura huahuahhuauhau .Depois que eu desliguei o jogo minha cabeça ainda ficou rodando.

  2. QF

    @Diogo Nunca tive esse tipo de problemas com jogos de avião e de tiro. Mas já vi muita gente reclamar mesmo… =(
    Eu tinha problemas com guitar hero… eu sempre ficava vendo as coisas se mexerem depois de jogar. HUhauhhuahuahuahu

  3. }-{FOX}-{

    @Diogo o nome disso é cinetose. É causada principalmente pelo “campo de visão” (FOV) apertado (>80°) do jogo combinado com a assincronia da orientação sonora (som vindo de caixas na frente, mas mal posicionadas).
    O cérebro buga tentando compensar a posição da sua atenção com o que ele conhece como realidade.
    Pra evitar isso, use fone de ouvido e deixa a luz acesa e com algo claro e contrastante atrás do monitor (um quadro, ou toalha colorida). Assim os olhos não vão achar que os objetos do jogo estão distantes, enquanto o som deles claramente vem de algum lugar à 1m na frente.
    Isso não acontece com jogos modernos que levam isso em consideração.

  4. @}-{FOX}-{

    Eita .-. aushauh

  5. PokerChemist

    Eu já ia falar que minha cinetose tava atacando, pelo visto não sou o único kkkkkk
    Não dá, é isso e FPS ruim (ou FPS bom com fps baixo, trocadilho não intencional…?), péssimas memórias de Quake de PS1 *emoji de vômito*

  6. QF

    @}-{FOX}-{ @Raphael e @PokerChemist
    Caramba, essa coisa é mais comum do que imaginei! Eu sofro um pouco com a situação oposta. Sempre que leio em ônibus ou carros em movimento, passo mal. No meu caso, os olhos dizem que estou parado, mas o corpo diz que estou em movimento. Em vocês, os olhos dizem que tudo está se movimento, mas o corpo que diz que tudo está parado.
    Interessante…

  7. Ruvânia

    1) Você está passando mais tempo jogando que escrevendo post.
    2) Concordo com sua teoria sobre os objetivos dos desenhos dos anos 80 e 90
    3) (Colegas leitores, em um desses vídeos que o QF publicou ele editou pra incluir o hamster de estimação dele no painel como companhia.)

  8. Raphael Barboza

    EÁ Aonde esta você!!

Faça um comentário...

*Atenção! Letras pequenas! Aviso importante: O sistema de comentários do Efeito Ázaron é um espaço para os leitores publicarem suas opiniões e comentários relacionados ao conteúdo. Todo e QUALQUER texto publicado nos comentários por terceiros não reflete a opinião do site e é de exclusiva e integral responsabilidade do leitor que o escreveu. Ao comentar aqui, o usuário concorda que SEU texto é de SUA responsabilidade, e não do site.

Theme by Anders Norén