Manuais

Como sobreviver a uma guerra nuclear


Sempre precisamos de vilões! Essa é uma das coisas mais importantes que aprendi durante todos os meus anos morando em repúblicas. Não conheci e não morei em nenhuma república que não tivesse um… (Se a sua não tinha, me desculpe… o vilão era você e não te contaram! =/) Veja, a quasi-estabilidade das complexas interações sociais em uma república dependem disso… dependem dessa polarização! Precisamos de alguém para colocar a culpa, precisamos do bem e do mal… precisamos de objetivos comuns! E não importa o quanto você e seus amigos tentem resolver a situação, vocês vão falhar. Se você e seus amigos se organizam para eliminar o sujeito ou sujeitos problema, outro ou outros novos indivíduos assumirão esse papel, podendo este ser o cara novo que entrou no lugar do expulso ou até mesmo um dos caras legais que te ajudaram a colocar o outro sujeito pra fora. Por isso, depois de um tempo nessa vida em repúblicas, resolvi que era hora de morar sozinho e preservar o máximo de amizades! Mal sabia que morando sozinho… eu seria o inimigo… Woooo O_O

Ok! Vamos voltar a realidade… eu acho… Afinal, por que estou falando disso? Bem, porque acho que o mundo se encontra numa situação bem parecida! Deixar louça suja acumular é como exercícios de guerra perto da fronteira da Ucrânia. Sorrateiramente bloquear as portas usadas pelo Ragnarok no roteador da república[1] por que você e seus amigos não aguentam mais escutar aqueles sons Porings sendo molestados é como um ataque cibernético a infraestrutura de outro país. Deixar o banheiro todo molhado depois do banho seria como reivindicar território no mar da China. Bem, acho que entenderam onde quero chegar, né?

Com esses tipos de tensões aumentando pelo mundo, uma forte retomada da corrida armamentista é algo esperado, natural e saudável. E nesse caso, estamos falando tanto de armas convencionais como de nucleares. E ai é que mora o problema… vocês estão preparados para uma eventual guerra nuclear? Vocês têm ideia de quão sérias seriam as consequências de uma guerra nuclear? Se vocês querem ter uma ideia melhor do poder de destruição dessas armas, recomendo o documentário que apresentei nessa publicação: Trinity and beyond – O documentário dos testes nucleares

bombanuclear1

Felizmente (ou infelizmente, não sei ao certo) nosso país não constitui um alvo militar prioritário. Além disso, estamos um pouco “longe” da ação… Porém, mesmo não sendo alvo de ataques diretos, certamente teríamos que lidar com situações de total desorganização social e econômica. Fora isso, teremos que lidar com invasões posteriores aos ataques, pois se nosso país não foi devastado nessa guerra nuclear, seremos alvo da cobiça das super potências, caso essas tenham forças para tal. É, as perspectivas não são boas, não é verdade?

Se vocês querem sobreviver, seguem algumas dicas para melhorar suas chances:

Abrigo:

A menos que você more em algum sítio ou fazenda, sua casa não será uma boa opção. Você deve evitar cidades (grandes ou pequenas) a todo custo! Depois de um ataque nuclear o caos será a nova lei e você precisa de um lugar seguro para se proteger da radiação e das pessoas!

O ideal seria um bunker dentro de uma montanha cercado por sentry guns, mas como ninguém por aqui é bilionário ou herdeiro de algum vilão de 007, temos que nos ater as nossas possibilidades. Sendo assim, acredito que nossa melhor opção é usar uma barraca simples, resistente e fácil de montar/desmontar, pois dependendo das condições teremos que nos mover rápido. Dessa forma, recomendo a toca do gugu, pois ela se monta sozinha assim que você a joga no chão. Mas uma simples barraca não é capaz de oferecer a proteção que precisamos! Aconteceu uma guerra nuclear, lembra? Então, depois de montada, encape a barraca com papel alumínio (no mínimo 30 camadas com o lado mais brilhante voltado para a parte externa da mesma). Por final, unte a parte externa da barraca com azeite de oliva extra virgem. Pronto! Esses passos visam garantir um bom isolamento térmico, camuflagem e um toque mediterrâneo com o azeite.

barraca_nuclear Resultado do seu trabalho, sem azeite de oliva (Isso custa caro!).

Água:

Segundo Bear Grills, não sobrevivemos por mais de 3 ou 4 dias sem água. Portanto, obter água limpa, sem nenhum sinal de contaminação por isótopos radioativos, deve ser uma prioridade! Tentem escolher locais próximos a poços ou nascentes para ter acesso a água limpa. Antes de consumir essa água, filtre, ferva, centrifugue e adicione Tang (qualquer sabor) e 2 colheres de açúcar. Além disso, mesmo com uma fonte de água próxima, é aconselhável estocar o máximo de água que conseguirem. Usem garrafas PET, galões de água mineral e embalagens de defensivos agrícolas. Lembrem-se, a criatividade e o improviso são as chaves para a sobrevivência.

Alimentos:

Estar bem alimentado é extremamente importante para garantir sua sobrevivência… e dadas as condições impostas por uma guerra nuclear, essa tarefa não será nada fácil! Como já disse anteriormente, o caos será a nova lei das ruas, seu dinheiro não valerá mais nada, os supermercados, mercadinhos, quitandas e bancas de feiras serão saqueados. Não haverá nenhum “podrão delivery” atendendo… Sua sobrevivência irá depender da sua preparação…

porquinhodaindia0Como não sabemos ao certo quanto tempo essa situação irá durar, faça um estoque capaz de lhes sustentar por alguns meses ou anos. Prefira alimentos com prazos de validade longos, tais como: palmito fresco, miojo, ovos, alface, temperos diversos, peixes e mariscos. Encontre um local úmido e quente para guardar esses alimentos e ampliar o prazo de validade dos mesmos. Outra medida muito importante é a criação de animais para o abate. Recomendo a criação de porquinhos-da-índia, eles são de trato fácil, são ótimas companhias e uma rica fonte de proteínas.

Remédios:

Como estaremos diante de uma situação extrema, é muito importante ter medicamentos a disposição. Nesse caso, você deve estar preparado para as mais variadas situações, doenças comuns (cefaleia, acne, flatulência, alopécia e prisão de ventre) e relacionadas a exposição a radiação (assaduras). Para conseguir uma lista com todos esses medicamentos, converse com seu médico de confiança. Explique para ele que vocês leram um artigo em um blog falando de uma possível guerra nuclear iminente e que pretendem estar preparados. Acrescente algo sobre uma conspiração alienígena Iluminati conduzida por algum partido político de sua escolha para dar um teor mais sério a conversa. Tenho certeza de que seu médico ficará feliz em ajudar. Ah, também peça algumas dicas sobre como realizar cirurgias simples munidos de canivetes, forquilhas e folhas de bananeira.

Transporte:

Sua capacidade de se mover rapidamente está diretamente relacionada com sua sobrevivência. Portanto ter um veículo a disposição é crucial! Em um mundo pós-guerra nuclear global… ruas, estradas e rodovias não serão lugares seguros para se transitar. Muito provavelmente, esses lugares estarão cheios de destroços, carros abandonados e pessoas tramando emboscadas. Nesse caso, o meio de transporte ideal deve exigir pouca manutenção, ser capaz de transitar em praticamente qualquer terreno, ser a prova de balas, ter grande automonia e uma cor bonita. Por isso, recomendo o Marauder (abaixo) ou caminhões de bombeiros.

MarauderQuer saber mais sobre o Marauder? Confira esse video no Youtube: Link.

Comunicação:

Comunicar-se é fundamental para obter informações sobre a situação atual de sua cidade, seu país e do mundo, mesmo que vocês não possam confiar em tudo que ouvirem. Afinal, desinformação faz parte do arsenal de qualquer guerra. Portanto, saber diferenciar informação de desinformação é crucial! Mas, acredito que o simples fato de estarem lendo esse artigo já indica que sabem fazer isso muito bem! =D

Compre um rádio transceptor, estoque baterias do tipo AAA e AA recarregáveis e consiga um carregador solar. Outra opção seria acoplar um dínamo a rodinha de exercícios do seus porquinhos-da-índia para produzir eletricidade e alimentar as tomadas de sua barraca.

Armas:

Armas, tenha armas a sua disposição! Além dos riscos associados a radiação, você deve estar preparado para se defender de pessoas, animais e insetos hostis. Sabemos que armas de fogo não são muito acessíveis no Brasil, mas você pode construir suas próprias armas! Para isso você pode assistir todos os episódios da série “McGuiver – Profissão perigo”. Se prestarem bastante atenção, na última temporada serão capazes de construir suas próprias armas nucleares… Mas se vocês não tem paciência para assistir tudo, podem aprender como fazer aqui Faça você mesmo uma bomba nuclear e como usar aqui DEFCON – Guerra termonuclear global.

Outra solução seria utilizar armas como: facas, peixeiras, shurikens, nunchakus, espadas samurais, arcos, bestas, estilingues de precisão e atiradeiras de feijão. Estas podem não ter o mesmo alcance e precisão que uma arma de fogo, mas podem ser feitas com materiais improvisados e no caso do arco e da besta vocês ainda podem reutilizar as flechas.

É muito importante lembrar que não se deve caçar animais para consumo, esses animais estarão contaminados! Vocês tem porquinhos-da-índia para isso! Os únicos animais que podem ser consumidos sem nenhuma preocupação são os da família Columbidae.

 
Concluo aqui esse breve manual de sobrevivência. Lembrem-se, se forem persistentes e providenciarem o conhecimento e os materiais necessários para cobrir os tópicos aqui apresentados, suas chances de sobreviver aumentarão significativamente. Caso algum tópico que julguem importante não tenha sido abordado, por favor, coloquem suas contribuições nos comentários [2].

=/

Notas do autor:

[1] Se você é pessoa que teve suas partidas de Ragnarok interrompidas, peço desculpas. Foi uma medida desesperada, pensando no bem maior… =/
[2] Fósforos e papel higiênico não são importantes. Se precisarem fazer fogo ou se limpar, usem os porquinhos-da-índia.




15 especialistas já comentaram!

  1. Ruvânia

    Ainda bem que você não sugeriu que as pesquisas com células tronco passassem a incluir porquinhos da índia… a humanidade se tornaria um misto de humanos e porquinhos tentando ambos se utilizar como fósforos. Seria terrível.

  2. Caraca… vou anexar esse artigo ao meu livro de sobrevivência em um apocalipse zombie.

    Acho devido citar a importância de se montar pequenos grupos para a divisão de tarefas e aumentar as chances de sobrevivência. (Claro… esteja ciente que ao menor desacordo, você deve matar cada um do grupo, avançar sozinho e construir um novo grupo.)

  3. QF

    @Ruvania Isso daria um bom filme, não?

    @Raphael Grupos podem ser uma boa… Mas seu comentário me lembrou dessa frase:

    “Be polite, be professional, but have a plan to kill everybody you meet.”
    James Mattis

  4. Essa primeira imagem do post é uma foto do quintal da Fuinha, onde recentemente eu e o @Caveira fizemos um “teste clandestino” com alguns “fogos de artifício” :D

    E, sim, eu ainda estou vivo :D

    E, não! Não vai haver gerra nuclear! :P Ninguém vai destruir essa bola azul pois ela nunca pertenceu aos humanos, e os verdadeiros “donos” recentemente me falaram que quem se atrever a “brincar com fogo, com fogo se queimará”… xD

    Mas é sempre bom saber se preparar para “momentos difíceis” não é mesmo!? Até mesmo em caso de “ordem de despejo” da bola azul, se houver uma “ação extra-dimensional” dos donos contra seus atuais ocupantes inconvenientes e mal-educados (o que dá pano para manga para um outro post aqui no EA) :D

  5. Faok

    Curioso…
    Nunca tivemos um quintal…

  6. Diogo Lima

    Caraca eu não sabia que o QF tinha voltado!!! Que da hora!!

  7. QF

    @Code você por aqui? =D
    Olhando nos e-mails antigos do blog achei suas ameaças de me denunciar por abandono de blog… HUuahuahuahuhuahua Abraço!

    @Faok Nem um jardim zen?

    @Diogo Sim! Voltei! =D
    Mais velho, mais rabugento e mais calejado pelos ázarons…

  8. @Diogo, o @QF tinha sido sequestrado por um terremoto, mas pelo visto conseguiu fugir do cativeiro (e terminar a tese dele) :D

    @QF, como você voltou a cuidar do blog eu retirei a denúncia :P Que bom que você (quase) voltou :)

    E o @Faok e a @Fuinha tinham sim, um jardim “zen”: “zen” radiação :D

    Mas a culpa é do @Caveira, pois eu preferiria ter experimentado um novo LASER de raios X recentemente desenvolvido, mas ele escolheu fazer as coisas a “moda antiga”.

  9. Chronos

    Concordo com quase tudo…
    Adicionaria partículas de alecrim defletoras de radiação alfa e sal do Himalaia, que é absorvedor de radiação beta…

    Quanto a comida… Aconselho o plantio de rabanetes em solo marciano para evitar contaminação e alface hidropônica tb!!
    hahahah

  10. Caveira

    @Code, “não estou sabendo de nada”…
    @QF, para armamento, sugiro nitrato de amônia e óleo diesel. O diesel é fácil de arrumar e o nitrato de amônia eu ainda tenho um bom estoque… Precisando, podemos negociar.
    @QF (2), “eminente” é relacionado a algum bispo?

  11. Faok

    Pretty sure que não tinhamos…
    tenho todos os contratos em casa… nada de quintal ou jardim…

  12. QF

    @Chronos Sal do Himalaia é uma boa! Huhahuahua Sobre os rabanetes, estou tentando cultivar aqui, mas estão ficando muito pequenos. =(

    @Caveira Aee!! =D Nesse cenário aqueles seus videos de sobrevivência viriam a calhar! PS: Já corrigi o erro lá! HUhuahuahu valeu!

  13. @Faok, uma casa sem quintal não é uma casa. Arrume um (um quintal ou uma casa com quintal) e seja feliz :)

  14. Caveira

    https://www.youtube.com/channel/UCAL3JXZSzSm8AlZyD3nQdBA
    Quem quiser conhecer técnicas de sobrevivência, este australiano é FODA!!!

  15. Eae gente, tudo bom com vocês?

    Até logo kkk

Faça um comentário...

*Atenção! Letras pequenas! Aviso importante: O sistema de comentários do Efeito Ázaron é um espaço para os leitores publicarem suas opiniões e comentários relacionados ao conteúdo. Todo e QUALQUER texto publicado nos comentários por terceiros não reflete a opinião do site e é de exclusiva e integral responsabilidade do leitor que o escreveu. Ao comentar aqui, o usuário concorda que SEU texto é de SUA responsabilidade, e não do site.

Theme by Anders Norén