Ham?

Resultado do Ázaron Awards


Chegou o momento de revelar quem é o azarado que levou a camiseta do Efeito Ázaron! A disputa foi grande e complicada de se computar, afinal além da avaliação do Quase-Físico que vos fala, também haviam os fatores azarônicos que deveriam ser levados em conta!
O método cientificamente comprovado e utilizado para medir o azar de cada participante foi o LD10FREA – Lançamento de Dados de 10 Faces Reverso de Escolha Atrasada. Este consiste em lançar o dado, anotar os resultados para cada participante e depois disso conjugar os resultados a fim de premiar os mais azarados de todos[1], por exemplo: 0 é 10, 1 é 9, 2 é 8 e assim por diante!

E vamos direto para o que importa!! O vencedor é: Rafael Barbosa que publicou a história em seu blog Sem título ainda… e ela é a seguinte:

Foi mais ou menos assim…

Eu namorava com uma menina, entre 2003 e 2004. 1 ano de namoro e tal, sabe como é né? A vontade de dar uns amassos mais quentes começa a aumentar, os hormônios borbulhando mais do que água fervendo, não tinha um lugar pra “aliviar” essa tensão toda. O jeito era malandrar e acabar matando aula um dia, e chamando a namoradinha pra cá. E assim foi.

Tudo planejadinho, no esquema. Era um dia que teria palestras na escola, não valia ponto nem nada, o típico dia desperdiçado. Pensei com meus botões: “Vou chamar a B pra vir aqui pra casa.” Chamei e ela topou. Fogos de artifício, pulinhos de alegria e toda aquela empolgação juvenil.

Combinamos dela vir pra minha casa de manhã, ela também matou aula (Não repitam isso mocinhos e mocinhas, é feio). No horário combinado fui ao portão e ela já estava lá me esperando.

Cara, quando fui em direção ao portão, parecia aquelas cenas de filme de comédia americana. O sol brilhava, os pássaros contavam e eu andava com o típico gingado do “f*dão“. Naquele dia eu me sentia o vencedor! Sozinho em casa, namoradinha comigo, nada podia dar errado!

Abri o portão e subimos. Nem entrei em casa direito e a parada já começou a esquentar. Todo aquele vigor da adolescência ali, despejado. Os meses de bjinhos e abraços finalmente iriam terminar, iríamos dar um outro passo. Era tipo passar de fase. Se eu fosse um Pokemón, aquele era o dia da minha evolução. As pokebolas que o digam!

Começou no corredor, uma paradinha na sala e finalmente o quarto! Naquele dia meu quarto estava impecável! Cama arrumadinha, cheirosinho, tudo nos seus devidos lugares. O famoso “ninho do amor”.

A coisa foi ficando realmente quente. Tira aqui, tira ali, e o chão foi ficando cheio de roupas.

Corta para o portão do prédio.

Um carrinho de mão cheio dos mais variados tipos de verdura. Alface, salsinha, cebolinha e tudo o mais. Comandando o carrinho, um moleque, no alto dos seus 18 anos, que passava todos os dias pontualmente às 9h no meu prédio vendendo os seus quitutes.

Ele começa o ritual. Toca no 101 e pergunta: “Quer verdura?”, “Não”. Toca no 102, “Quer verdura?”, “Não”, e por aí vai. Até chegar na tecla do meu apartamento. Maldita tecla, maldito verdureiro.

Volta para o ninho de amor.

O ambiente transpirava amor. Eu era todo amor. Ela era toda amor. Diria que o bicho tava pegando aqui no quarto.

Corta para o portão. Em câmera lenta, o verdureiro leva seu dedo em direção à tecla do interfone daqui de casa. Lentamente ele aperta.

Volta para o ninho de amor.

Eu lembro de ter dado um pulo, mas um pulo, que eu nem reparei que joguei a menina para o lado, e já saí vestindo minha bermuda. Disse pra ela:

– F*deu, é minha mãe!
– Nossa, nem brinca, que vergonha.
– Fica aqui que vou atender.
– Tá bom.

Fui pra cozinha e atendi.

– Oi.

A frase que veio a seguir foi o verdadeiro banho de água fria.

– Quer verdura?

Putaqueopariu mermão. Como assim, Quer verdura? Minhha namorada quer, aliás, já tava até vendo antes de você tocar. Vem um carinha e bota o pé no meu amasso? Inadmissível!

– Caralho vei, quero verdura não. Se f*de mané.

E desliguei o interfone.

Quer verdura? Porra maluco, aquilo ali ficou repetindo na minha cabeça.

Voltei pro quarto e minha ex-namoradinha já estava completamente vestida. Falei que era só o verdureiro, mas não adiantou. O clima que pairava no ar foi todo embora com o verdureiro. O “fodão” aqui perdeu todo o rebolado. Não foi só o rebolado não. Empolgação, t*são, tudo que se passa nessa hora, foi embora com o carrinho de alface. Acho que é por isso que não gosto de verduras até hoje.

Só me restou levar ela embora, voltar, comprar um pãozinho e ir assistir TV Globinho.

Quer verdura? Pff…

Meus parabéns Rafael! Já lhe enviei e-mail e logo você deve estar com sua camiseta do EÁ[2] ou não….
Aos que participaram e não ganharam p0rra nenhuma… bem… se serve de consolo: vocês não são tão azarados quanto pensavam! =D

=/

Notas do autor:

[1] Só funciona se a idéia de conjugar os resultados for concebida após os resultados dos dados eram computados. Caso contrário o experimento seria prejudicado pela interação dos ázarons.
[2] Recebe, se a greve dos correios acabar!! Engraçado né? Greve nos correios… Ázaron Awards… e ainda tem jeito de extraviar!! Hahhahaha

* As respostas de comentários não estão funcionando… por que? Não faço a menor idéia! Simplesmente pararam de funcionar e como estou na casa os meus pais, passando uns dias, não tenho como concertar! Portanto, vou deixar a resposta de comentários desligada até lá… no mais os comentários estão funcionando perfeitamente bem, tirando eventuais futuros problemas! Hehehe…
** Pretendo impletamentar o Azar-o-matic, um sistema automatizado de detecção e quantificação de azar para ser usado nos prováveis concursos futuros! Já assinei um contrato com uma empresa para iniciar as pesquisas e a provável integração desse sistema com uma linha de Contadores Geiger e Tricorders(nojo) que eles já possuem.




17 especialistas já comentaram!

  1. Aeeewww pelo menos pra alguma coisa essa história serviu hahahahaha.

  2. AUHEUAHEUHAUEHUAHEUHAUEHUAHEUHA
    UEHUAHEUHAUEHUAHEUHAUEHUAHEUHAU
    EHUAHEUHAEUHAUEHUA

    quer verdura?

    uaheuhaueha
    pqp velho… maldito verdureiro!

    auheuahe
    muito bom, mereceu o prêmio com 5 estrelas!
    auehuaheuhaueha

    =P

  3. Ex Fisico

    Hehehehehheeh

    Putz acabar assistindo TV globinho comendo um pãozinho e as bol… ardendo, bah que indiada terrível!!
    Quando eu tiver filhos vou usar essa de exemplo para eles não matarem aula!

    ahuahuahauhauhauhauha

  4. É uma boa pra contar né? Ex-Físico..

  5. Muito azar sem dúvida…

    mas achei a minha pior..
    prefiro deixar de fazer sexo um dia do que cair de bicicleta, quebrar a cara e ser assaltado no dia seguinte…

    mas o dado nunca falha então, méritos ao Rafael
    xD

  6. É cara…
    Tenta aproveitar ai! Joga na mega sena, acumulou! Porque com certeza você está passando por uma fase de boa sorte! =/

  7. Dot

    Cara, bons tempos esses em que eu vendia verduras…

    To vendo até um motivacional:

    VERDUREIROS
    Controle populacional desde 1500

  8. Huahuahuhuahuahua!!
    Com certeza… e cara… dá até pra tirar uma moral da história né?

    “Não mate aula, pois um verdureiro sempre pode melar seus esquemas!”

  9. Moita

    cara muito bom….. ou melhor quase.
    heuaheauheha

    o negócio é deixar o telefone do interfone fora do gancho (e bem longe pra ninguém na rua te ouvir dando margem pra outro conto de azar) nessas horas.

    bom mas QF depois coloca um top 3 ai pelo menos pra galera que não manda nada nem escreve em blog conferir os contos de azar do povo ^^
    heuaheuaheuahea

  10. MTo bom
    HAUAHUAHUAHUAHUA
    esse negócio de “corta” aqui,”corta” ali a la Cidade Alerta foi f#da…
    realmente é pra pegar trauma de verdura o resto da vida
    parabens Rafa…com seu azar não dá pra competir!

  11. Fiquei chocada com a história do rapaz, com a rapidez da mocinha para vestir a roupa, com a frase do verdureiro, com tudo…
    Na certa, quando o moço em questão vê uma salada de alface, perde um dia de vida.

    Abraços,
    Pitanga.

    P.S.: O verdureiro ainda toca o teu interfone?

  12. IAUHSFIUHSIUFHAIUHEIUHFIUAHE, cara, ri demais mesmo.

  13. uuhauhauuhuhauhauhauhauauhauhauh

    Foda essa… Ri demais aqui. O cara ainda escreve bem, que deixou a história mais loca ainda. Parabéns pelo premio!

    É a primeira vez na história desse país que alguem ganha algo por azar.

  14. Fernanda

    Háháhá!
    Gostei da idéia que deram de postar o top 3 de histórias… hehe
    É muito bom saber que existem pessoas mais azaradas que nós! =)))

  15. Candyman

    suponho que o google tenha algo a ver com isso… huummmmm……… (o complexo lunar do google XD)

Faça um comentário...

*Atenção! Letras pequenas! Aviso importante: O sistema de comentários do Efeito Ázaron é um espaço para os leitores publicarem suas opiniões e comentários relacionados ao conteúdo. Todo e QUALQUER texto publicado nos comentários por terceiros não reflete a opinião do site e é de exclusiva e integral responsabilidade do leitor que o escreveu. Ao comentar aqui, o usuário concorda que SEU texto é de SUA responsabilidade, e não do site.

Theme by Anders Norén