Faculdade, Manuais

Vida em repúblicas… e cactus


Até alguns meses atrás eu morava em uma república que por motivos místicos e contratuais acabou. Hoje moro em um kitnet e as vezes sinto falta (só um pouquinho vai!) de uma casa toda hora cheia de gente e astronomicamente mais espaçosa que minha atual kitnet (2,34m x 1,20nm). As vezes bate uma certa solidão e assim como foi difícil se acostumar e viver o tempo todo em sociedade na república, também é difícil se acostumar a uma vida claustrofóbica e solitária de um kitnet. Deixando esse papo triste de lado… vamos as soluções!

Como um Quase-Físico, procurei meios de solucionar esse problema e já encontrei a solução! Portante se você anda se sentindo sozinho, esse post é muito importante!!

Desenvolvi um método simples, fácil e barato de emular companheiros de quarto. A idéia me veio enquanto fazia compras no mercado e me deparei com um mini-cactus… achei ele tão bonitinho, verde e ao mesmo tempo robusto, pois tive a certeza de que ele sobreviveria bem em um ambiente de kitnet[1] e também não precisaria de tanta água a ponto de acabar morrendo de sede por culpa minha! Então, acabei comprando o safado por incríveis R$ 1,39 e o levei pra casa.

Sempre converso com ele durante o dia e isso me fez sentir uma coisa muito boa…. só de saber que aquela pelotinha verde estava comigo. Gostei tanto que na outra semana fui ao mercado e comprei outro mini-cactus. Agora sim tudo estaria bem, eles poderiam dividir a parte de cima de geladeira e nossas conversas poderiam ficar mais dinâmicas, pois afinal não são mais duas pessoas (ou melhor pessoa-cactus) conversando, mas três com idéias e opinões diferentes.
Acabei dando nomes a eles:

cactus
Em homenagem aos Físicos convidados do post do LHC.

Sei que isso tudo pode aparecer loucura, mas é verdade! Sei que se trata de uma fase e que logo eles vão passar a me ignorar. =/

Enquanto isso não acontece, vivo feliz em casa com meus cactus e apenas com as lembranças da vida em minha antiga república. Para quem não sabe como é a vida em repúblicas*:

=/

Notas do Autor:

[1] Sim! Somente criaturas robustas e altamente adaptáveis conseguem sobreviver ao ambiente hostil de um kitnet.
* Video enviado e recomendando por: Magister Technomage




7 especialistas já comentaram!

  1. Sinceramente… o quase-físico dá medo…
    mas pra falar a verdade já tive sintomas desse tipo, é a nerdice..
    normal.. passei por isso, mas aquele foi o melhor imã de geladeira com o qual eu fiquei amigo…

    é serio… tinha uma foca.. era um ima das sardinhas do gomes da costa… na época que eu tava estudando pro vestibular, mas já passou… e nunca mais vi o barney..

  2. Cuidado para não deixar nenhum livro de quântica perto dos cactus, eles podem ficar poderosos DEMAIS.

  3. Ivan!! Eu entendo a sua dor…

    E valeu pela dica Renan! Tinha o livro do Griffths e do Cohen perto dele!! Já tirei.. afinal, ia ser vergonhoso eles se formando antes de mim!

  4. João Jardim

    Uma boa idéia também, é dar uma festa(de preferência quando as pessoas são arruaceiras) assim, no outro dia quando tudo estiver um lixo, você terá uma semana pra limpar tudo e nem vai ligar muito pra solidão. Então estará preparado para outra festa!(Esse tipo de atitude tende a uma entropia positiva mas de qualquer forma é uma solução!)

  5. Musashi

    ….motivos místicos ….

    Lei de Mããrfih já até li por aí,mas um Físico dizer motivos místicos…poxa, animal… ahuahauahau

  6. Anti-Séptico

    Desculpa, QF, mas isso são “suculentas” e não cactus…

  7. Para com esse papo de vegetariano esfomeado pra cima dos meus cactus!!! Não fica falando que são suculentos! Eles assustam!!

Faça um comentário...

*Atenção! Letras pequenas! Aviso importante: O sistema de comentários do Efeito Ázaron é um espaço para os leitores publicarem suas opiniões e comentários relacionados ao conteúdo. Todo e QUALQUER texto publicado nos comentários por terceiros não reflete a opinião do site e é de exclusiva e integral responsabilidade do leitor que o escreveu. Ao comentar aqui, o usuário concorda que SEU texto é de SUA responsabilidade, e não do site.

Theme by Anders Norén