Faculdade

Certos Físicos não sabem e não devem jogar Basquete


Essa história aconteceu a algum tempo atrás, mas merece um artigo para ser lembrada.
Um certo dia, sexta-feira para ser mais exato, fui chamado pelos meus amigos (Físicos tem amigos sim! viu!) para ir na faculdade jogar basquete. Eu não tinha aulas naquele dia e também não pretendia jogar, então fui com meu chinelo[1].

Quando cheguei na quadra percebi que mais da metade do povo que deveria estar lá, não estava. Acho que deve ter alguma relação com os seguintes fatores: sexta-feira e 08:30 da manhã.

Assim que me viram, já me chamaram pra jogar e eu como sempre recusei, mas aconteceu algo estranho nesse dia. Uma frase mágica foi invocada:

Se você não jogar… ninguém joga, Cara
– Dot

Essa frase de alguma forma me tocou de um jeito que apenas Freud pode explicar. Logo eu que sempre fui último a ser escolhido para time de qualquer coisa, agora eu tinha esse poder: Se eu não jogar, ninguém joga. Incrível! Fui tomado por uma vontade insana de jogar basquete. Entrei na quadra e me esforcei ao máximo, não que isso queria dizer que joguei bem, pois não joguei, mas como minha auto-estima esportística estava as alturas, me neguei a acreditar que o problema fosse eu. O que eu fiz? Acabei achando que o problema eram os chinelos. Então para melhorar meu desempenho na quadra retirei os malditos chinelos.

Não resolveu muito, na verdade acho que nada. Ganhei mais mobilidade mas nada de habilidade. Hehe..
Depois de alguns bons minutos de basquete e muitas quase-cestas, um amigo parou o jogo e eufórico mostrou o que parecia ser uma pegada vermelha no chão.

– Cara! Olha isso!!
– Nossa… é sangue? Parece meio recente hein…

Fiquei olhando a pegada com todo mundo e logo percebi que haviam outras. Comecei a acompanha-las com os olhos e depois de uma boa olhada na quadra acabei chegando em mim. Levantei meu pé e tudo fez sentido! Eu praticamente não tinha mais pés!! E estranhamente esses pés que eu nem tinha mais começaram a doer naquele exato momento… que dor!

Resultados
O jogo acabou, descobri que tenho pés de moça e que eles ficaram totalmente destroçados e incapazes de realizar sua função. O único calçado que eu estava habilitado a usar eram pantufas, mas para minha sorte… nunca tive pantufas. (Já pensou que legal ter uma pantufa escrito: Quase e Físico em cada pé? Ótimo presente de natal. Umhummm!)
Outro resultado bem provável é de que as outras pessoas que foram usar a quadra depois do sinistro acharem que tivemos aulas de dança de salão na quadra. Só faltou numerar minhas lindas pegadas de sangue para poder seguir meus passos de dança, que tinham traços de salsa, dança da chuva, dança do robô e lambada (a dança proibida).

=/

Notas do autor:

[1] Essa informação pode parecer sem sentido a primeira vista, mas no decorrer do texto se mostrará de crucial importância.



4 especialistas já comentaram!

  1. s1lv3r4d0

    AH!
    O Objetivo do chinelo era – literalmente – não jogar!

    Que nada , QF ; Joga lá … Vai que do nada faz uma descoberta genial e inovadora, além de pantufas

  2. GH of Xaos

    O segredo é sempre ir jogar descalço, é um grande sacrifício no início, mas em alguns meses, seu pé terá criado uma crosta de pele endurecida ultra-resistente! Evolução, cara, evolução!! :P

  3. Quase-Físico

    Ah cara, não duvido disso.
    Mas e meu pé de moça.. como fica?
    Vou deixar ele quietinho e se for jogar… jogar de tênis(ou se algum dia eu tiver, de pantufas)
    Realmente foi um jogo perdido!
    Hehehe
    Abraços

  4. táquion

    Ah ,meu Deus!Eu também não sou a melhor esportista , e em vários ocasiões era deixada por último nos times…mas entender de física com algum tempo me ajudou a fazer cestas,sim.Ah , o melhor foi eu usar a minha inteligência para jogar , isso ajuda.
    Nunca jogue sem sapatos adequados , mesmo sendo um “quase físico” , sei que sua inteligência lógico-matemática é bem alta , e por ser homem pode usar melhor a espacial.
    Que vacilo , hein!

Faça um comentário...

*Atenção! Letras pequenas! Aviso importante: O sistema de comentários do Efeito Ázaron é um espaço para os leitores publicarem suas opiniões e comentários relacionados ao conteúdo. Todo e QUALQUER texto publicado nos comentários por terceiros não reflete a opinião do site e é de exclusiva e integral responsabilidade do leitor que o escreveu. Ao comentar aqui, o usuário concorda que SEU texto é de SUA responsabilidade, e não do site.

Theme by Anders Norén